Dica da semana

26 05 2010

Para quem estará em São Paulo nas próximas semanas um bom programa é a Mostra de chapéus de Silvia Lucchi no Museu do objeto brasileiro.  A exibição que mostra como ocorre o processo criativo da super talentosa designer de chapéus Silvia Lucchi, conta com diversas peças pilotos das principais criações da artista. Com certeza uma ótima fonte de inspiração para quem se animou com nosso Nos embalos do fim de semana especial chapéus.

Chapeu Silvia Lucchi

Uma das peças da exposição de Silvia Lucchi

Em campinas, um ótimo programa para todas as interessadas em moda é o curso: Alta Costura: Glamour e Realidade de João Braga, um dos mais importantes historiadores de moda do Brasil, no dia 13 de junho no auditória da Livraria Cultura. Nós do Ateliê de Novidades sem dúvida estaremos lá apoiando mais um bacana evento de moda em Campinas.

Já para quem está com viagem marcada para New York esse ano, programa imperdível é a exposição Eco-Fashion: Going Green no FIT (Fashion Institute of Technology).  A exibição mostra que a moda aderiu a onda Go Green desde o século 18, bem antes de estar na moda, hein!? Para provar seu ponto a mostra conta com mais de 100 peças, como sapatos e roupas, divididas em seis temas: origem dos materiais, reutilização, tingimento, qualidade da matéria prima, práticas trabalhistas e exploração de animais. Imperdível para todas nós amantes de moda, história e defensoras do meio ambiente.

Agora para quem estiver em qualquer cidade do mundo o programa do fim de semana é, sem dúvida, a estréia de Sex and the City 2. A continuação da saga de Carrie, Charlotte, Samantha, Miranda e seus guarda roupas super estilosos é programa imperdível para todas nós mulheres amantes de moda e estilo, e que não resistimos a um bom programa com nossas melhores amigas, pois vamos combinar apesar de cinema ser um dos programas favoritos dos casais, esse é um filme para se curtir com as amigas, e ainda combinar com um jantar ou um cafezinho para discutir o figurino…

poster sex and the city 2

Serviço

Mostra de chapéus de Silvia Lucchi

A CASA museu do objeto brasileiro

Rua Cunha Gago, 807 – Pinheiros – São Paulo

Tel: 11 – 3814.9711

Horário: segunda a sexta – das 10h00 ás 19h00

Em exibição até 27 de agosto

Alta Costura: Glamour e Realidade

Auditório Livraria Cultura – Shopping Iguatemi Campinas

Data e horário: 13 de Junho das 14h00 ás 18h00

Investimento: R$ 150,00 e alunos ESAMC R$ 120,00

Para mais informações: www.artemodaximenes.com/blog

Eco-Fashion: Going Green

FIT (Fashion Institute of Technology)

7th Avenue at 27 street – New York

Data e horário: terça a sexta das 12h00 ás 20h00

Sábado das 10h00 ás 17h00

Em exibição até 13 de Novembro

Anúncios




Avatar; um deslumbre para os olhos

25 01 2010

 Não existe planeta B!

Avatar o filme

Finalmente consegui assistir Avatar. Foram várias tentativas sem sucesso… Bilheteria lotada, volta pra casa… Frustração! E a vontade de ver o “Povo azul” crescia. O desejo de mergulhar neste novo universo tecnológico… Conhecer todas estas novas criaturas; animais incríveis, míticos, surreais; plantas maravilhosas que piscam suas luzes fluorescentes, flores de lindas cores  impressionistas e finalmente o Povo Azul; uma sociedade meio índia que vive em total harmonia com a natureza!

http://migre.me/hBUu

Procurando nemo

Dory a "peixa' sabida

Confesso que tenho há anos uma forte relação com este povo; o Povo Azul. Adoro o Blue Men e tenho uma relação muito forte, intensa mesmo, com a Dory, aquela maravilhosa “peixa” azul do Procurando Nemo, ela é meio que um ídolo pra mim, um serzinho cheio de sabedoria, esperança e otimismo, mesmo sem saber disso.

Bom, voltemos… Ingressos comprados, eu, meus filhos e o namorado de minha filha mais velha, nos encontramos no cinema para a tão esperada sessão. Nos acomodamos, colocamos os óculos para o mergulho em 3D e lá fomos nós como que em um simulador dos parques da Disney, uma viagem incrível; lutamos, torcemos, atacamos, recuamos, rezamos,lutamos novamente…e o bem venceu o mal!! Foi divertido!! Foi lindo! As imagens são maravilhosas, algumas deslumbrantes.

Então, após a sessão, vem a pergunta: “gostou?” e as discussões começam; opiniões fortes e apaixonadas, pareceres técnicos, comentários, teses…

Sim, eu gostei! Realmente me senti dentro de um simulador, em um parque de diversões. Fiquei encantada com as imagens, com as cores, com a tecnologia _eu adoro tecnologia, a criatividade das formas, as expressões, aquele ar surreal! Minha filha, do meio, tem razão, é quase uma exposição de arte, são desenhos, telas, quadros, pinturas… de  vários artistas gráficos, plásticos, designers,programadores, editores…a  direção é primorosa, enfim um deslumbre para os olhos.

E os olhos são a janela da alma… E como também são, uma janela para a alma, ver coisas bonitas, perceber os pormenores plásticos de uma criação, as nuances das cores, o esmero pelos ínfimos detalhes, a criatividade sem fronteiras e sem medo dos sonhos,_numa atitude plástica quase comparada a Salvador Dalí, em suas devidas proporções, é claro, faz um bem enorme para a já falada alma.

O filme é poético, dramático, cativante apesar de um pouco longo, mas é genial. A historia, bom, a história não importa muito neste caso, não acho que todo filme tenha que ter um enredo genial ou inédito. Afinal, uma história bem contada, mesmo que já tenha sido contada outras vezes, é sempre uma revelação e está história é muito bem contada e quem a conta é a arte visual, ela entra em contato conosco pelo olhar e como se diz: é de encher os olhos!

 Obviamente, meu coração também foi pego, eu torci muito para o Povo Azul, não queria ver a Árvore das Almas  caída no chão, nem a floresta destruída e  aquele povo sem lar com suas riquezas roubadas. Já vimos isso tantas vezes, ou pior, já fizemos isso tantas vezes, invadir, roubar, trocar riquezas naturais por espelhos e bugigangas, mas, desta vez e para espanto de quase todos, nossas bugigangas não foram desejadas, nós do povo sem cor, não tínhamos nada de especial para oferecer. Mas, como queríamos o que eles tinham, simplesmente atacamos, matamos, roubamos. Desculpe, mas, não dá para fingir que este povo sem cor é um outro povo, de um mundo tão distante como o  mundo mágico dos Na´vis. Somos nós! E esse talvez seja o grande trunfo da história, nos mostrar como somos; gananciosos, com sérios problemas de ética e escrúpulos, um povo sem limites.

 Eu sei, eu sei, que nem todos são assim, tem muita gente boa neste nosso mundo, e essas pessoas estavam lá no filme, lutando ao lado do Povo Azul. Mas, ainda somos muito poucos. Sim, eu escrevi somos, pois eu estaria lutando pelos Na`vis, e quem me conhece sabe que isso é verdade.

Saí do cinema com a incomoda sensação de que tenho feito muito pouco, que preciso ser mais atuante, mais engajada, mas, também saí com uma admiração ainda maior por pessoas como as que fazem parte de ONGs e outras organizações como o Greenpeace, a WWF e os Médicos sem Fronteiras.

E fiquei imaginando, como seria ver; Lindas araras azuis, tucanos com seus bicos poderosos, pacas, tatus, felinos ferozes, rinocerontes, cobras gigantescas, insetos venenosos, multidões de macacos, elefantes… Enfim…, todo o reino animal se juntando a um grupo do Greenpeace ou da WWF para impedir a destruição das  florestas, a matança das focas ou baleias  e destruição de tantas espécies…Seria um espetáculo e tanto ! Mas, acredito eu, ainda não merecemos este reforço… Quem sabe um dia, quando a mãe natureza sentir que a amamos e respeitamos acima de nossos fúteis desejos, nós sejamos merecedores deste maravilhoso espetáculo!