O peixe e o panda…

28 01 2010

Faça um golaço pela natureza – Apóie o WWF-Brasil, foi com esta atitude que o Santos Futebol Clube começou o campeonato paulista de 2010.

Santos Futebol Clube

Gol de placa dos Santos

O simpático panda, símbolo da WWF, estampa agora a camisa do clube. Fruto de uma parceria – que não envolve recursos financeiros, o Santos usará estampada em seu uniforme oficial a logomarca da ONG, pelo menos, enquanto estiver sem patrocinador, numa atitude de vestir a camisa pela preservação do planeta.

Vale lembrar que a parceria favorece às duas partes, a WWF-Brasil ganha uma ajuda extra para disseminar sua mensagem de conversação da natureza e uso sustentável dos recursos naturais e o clube santista ganha na imagem, apoiar ONGs sérias como esta sempre agrega valor a uma marca, sacou o toque?

 O Santos Futebol Clube fez um gol de placa ao firmar esta parceria de comunicação com a WWF-Brasil. E você, qual será seu gol em prol do planeta?

Este post é dedicado ao meu filho Lucas, torcedor antenado do Santos, foi ele que me deu a dica da parceria entre o peixe o panda.

E nós moradores deste planeta, agradecemos!

Robinho volta para o Santos

Robinho está de volta.

E falando em parceria…Está confirmada a volta do Robinho para o Santos, pelo menos até o segundo semestre. E o futebol brasileiro ganha mais um reforço. Bom pra todos!

Post : Cristina Morais

Anúncios




Avatar; um deslumbre para os olhos

25 01 2010

 Não existe planeta B!

Avatar o filme

Finalmente consegui assistir Avatar. Foram várias tentativas sem sucesso… Bilheteria lotada, volta pra casa… Frustração! E a vontade de ver o “Povo azul” crescia. O desejo de mergulhar neste novo universo tecnológico… Conhecer todas estas novas criaturas; animais incríveis, míticos, surreais; plantas maravilhosas que piscam suas luzes fluorescentes, flores de lindas cores  impressionistas e finalmente o Povo Azul; uma sociedade meio índia que vive em total harmonia com a natureza!

http://migre.me/hBUu

Procurando nemo

Dory a "peixa' sabida

Confesso que tenho há anos uma forte relação com este povo; o Povo Azul. Adoro o Blue Men e tenho uma relação muito forte, intensa mesmo, com a Dory, aquela maravilhosa “peixa” azul do Procurando Nemo, ela é meio que um ídolo pra mim, um serzinho cheio de sabedoria, esperança e otimismo, mesmo sem saber disso.

Bom, voltemos… Ingressos comprados, eu, meus filhos e o namorado de minha filha mais velha, nos encontramos no cinema para a tão esperada sessão. Nos acomodamos, colocamos os óculos para o mergulho em 3D e lá fomos nós como que em um simulador dos parques da Disney, uma viagem incrível; lutamos, torcemos, atacamos, recuamos, rezamos,lutamos novamente…e o bem venceu o mal!! Foi divertido!! Foi lindo! As imagens são maravilhosas, algumas deslumbrantes.

Então, após a sessão, vem a pergunta: “gostou?” e as discussões começam; opiniões fortes e apaixonadas, pareceres técnicos, comentários, teses…

Sim, eu gostei! Realmente me senti dentro de um simulador, em um parque de diversões. Fiquei encantada com as imagens, com as cores, com a tecnologia _eu adoro tecnologia, a criatividade das formas, as expressões, aquele ar surreal! Minha filha, do meio, tem razão, é quase uma exposição de arte, são desenhos, telas, quadros, pinturas… de  vários artistas gráficos, plásticos, designers,programadores, editores…a  direção é primorosa, enfim um deslumbre para os olhos.

E os olhos são a janela da alma… E como também são, uma janela para a alma, ver coisas bonitas, perceber os pormenores plásticos de uma criação, as nuances das cores, o esmero pelos ínfimos detalhes, a criatividade sem fronteiras e sem medo dos sonhos,_numa atitude plástica quase comparada a Salvador Dalí, em suas devidas proporções, é claro, faz um bem enorme para a já falada alma.

O filme é poético, dramático, cativante apesar de um pouco longo, mas é genial. A historia, bom, a história não importa muito neste caso, não acho que todo filme tenha que ter um enredo genial ou inédito. Afinal, uma história bem contada, mesmo que já tenha sido contada outras vezes, é sempre uma revelação e está história é muito bem contada e quem a conta é a arte visual, ela entra em contato conosco pelo olhar e como se diz: é de encher os olhos!

 Obviamente, meu coração também foi pego, eu torci muito para o Povo Azul, não queria ver a Árvore das Almas  caída no chão, nem a floresta destruída e  aquele povo sem lar com suas riquezas roubadas. Já vimos isso tantas vezes, ou pior, já fizemos isso tantas vezes, invadir, roubar, trocar riquezas naturais por espelhos e bugigangas, mas, desta vez e para espanto de quase todos, nossas bugigangas não foram desejadas, nós do povo sem cor, não tínhamos nada de especial para oferecer. Mas, como queríamos o que eles tinham, simplesmente atacamos, matamos, roubamos. Desculpe, mas, não dá para fingir que este povo sem cor é um outro povo, de um mundo tão distante como o  mundo mágico dos Na´vis. Somos nós! E esse talvez seja o grande trunfo da história, nos mostrar como somos; gananciosos, com sérios problemas de ética e escrúpulos, um povo sem limites.

 Eu sei, eu sei, que nem todos são assim, tem muita gente boa neste nosso mundo, e essas pessoas estavam lá no filme, lutando ao lado do Povo Azul. Mas, ainda somos muito poucos. Sim, eu escrevi somos, pois eu estaria lutando pelos Na`vis, e quem me conhece sabe que isso é verdade.

Saí do cinema com a incomoda sensação de que tenho feito muito pouco, que preciso ser mais atuante, mais engajada, mas, também saí com uma admiração ainda maior por pessoas como as que fazem parte de ONGs e outras organizações como o Greenpeace, a WWF e os Médicos sem Fronteiras.

E fiquei imaginando, como seria ver; Lindas araras azuis, tucanos com seus bicos poderosos, pacas, tatus, felinos ferozes, rinocerontes, cobras gigantescas, insetos venenosos, multidões de macacos, elefantes… Enfim…, todo o reino animal se juntando a um grupo do Greenpeace ou da WWF para impedir a destruição das  florestas, a matança das focas ou baleias  e destruição de tantas espécies…Seria um espetáculo e tanto ! Mas, acredito eu, ainda não merecemos este reforço… Quem sabe um dia, quando a mãe natureza sentir que a amamos e respeitamos acima de nossos fúteis desejos, nós sejamos merecedores deste maravilhoso espetáculo!





Do Bem

16 01 2010

Uma questão de Ego

Faz algum tempo que venho lendo e estudando a influência do ego em nossas vidas e em nossas atitudes. Colin Powel disse uma vez que “é interminável a quantidade de coisas que podemos fazer quando não nos importamos para quem vai o crédito”. (citação do livro Minha jornada Americana-Colin Powel)

 Lendo a coluna da Barbara Gancia (sou fã de carteirinha) na Folha de São Paulo, me deparei mais uma vez com a questão do ego, desta vez de uma forma trágica. Barbara comentava sobre a triste morte da Dra. Zilda Arns no terremoto do Haiti. Uma perda enorme para a humanidade e para nossa sociedade já tão desfalcada de verdadeiros herois. Perda, segundo Gancia e acredito que todos concordamos, que se pode comparar com a morte prematura de Sérgio Vieira de Mello no Iraque. Ambos longe de casa, ambos perto de seus ideais, mesmo que estes ideais os levassem aos redutos mais pobres e violentos do planeta.

E muito  provavelmente apenas as pessoas diretamente ligadas à Dra Arns ou Dona Zilda,como carinhosamente era chamada, na Pastoral da Criança deveriam saber que ela estava em Porto Principe, tratando de assuntos referentes à entidade e aos mais necessitados. Ainda, segundo a coluna de Barbara Gancia, nem mesmo o sobrinho dela o senador Flávio Arns , que passou a natal com a tia sabia da viagem.

E é exatamente isso que me pegou fundo no coração, ou por que não, no ego, e é isso que mais tenho ouvido em palestras e livros sobre o assunto citado. Zilda Arns foi fazer o que tinha que ser feito e isso não era dá conta de niguém, foi fazer o que acreditava e o fazia por consciência, por descência, por ideal e não para aparecer nas manchetes de revistas e ser celebrada como celebridade. Aliás posso imaginar a surpresa de inúmeros  aspirantes a celebridade que  devem achar isso uma perda de tempo, imagine se meter em um pais pobre e cheio de problemas e ainda correr riscos pessoais sem contar pra niguém?!!?? Qual a serventia disso? Bom, na verdade muitas dessas “celebridades” nem devem saber da existência da Dra Arns e tbm que difrença faz eles saberem ou não? Dúvido que eles aprendessem alguma coisa com ela…tudo muito complexo …

Eu, pessoalmente acho isso maravilhoso,  de uma dignidade e altruismo que me inspira a continuar lendo e estudando até descobrir uma maneira de manter meu ego no lugar dele, coisa que confesso, ainda não sei sem aonde é, mas, com certeza deve ser bem mais escondido do que o lugar que ele ocupa hoje.

Bom, desta lição me lembrarei todos os dias com certeza. Obrigada Dra. Zilda Arns, por cuidar de nossas crianças, nos ensinar sobre solidariedade e ainda, nos lembrar do nosso lugar neste imenso universo.





Projeto Tamar

5 01 2010

O projeto Tamar faz 30 anos!

30 anos lutando pelas tartarugas marinhas.

30 anos mostrando que é possível lutar pela sobrevivência e pela vida.

30 anos construindo conciências e mostrando caminhos contra a extinção.

30 anos nos ensinando a ser éticos e continuar acreditando e nunca abandonar a luta que se acredita justa.

30 anos comprometidos com as comunidades em seu entorno.

30 an0s buscando melhorar a qualidade de vida do planeta.

Para saber mais sobre o Projeto Tamar  acesse este link 

Parabéns a todos do Projeto Tamar!! O mundo precisa de mais pessoas como vocês!

Cristina Morais