Nos embalos do fim de semana!

21 05 2010

AH!!! Chanel!! Chanel foi uma mulher extraordinária, se fez sozinha na vida, se criou e se recriou quantas vezes foram necessárias, inverteu os papeis e usou os homens como eles usam as mulheres, viveu um grande amor e o perdeu ainda jovem… Muitas coisas nesta mulher são notáveis, algumas é verdade não foram muito nobres, quer saber? Pouco importa. Esta mulher que perdeu a mãe e  foi abandonada pelo pai ainda criança, que conheceu na pele a pobreza e o abandono, revolucionou o mundo, liberando as mulheres de uma moda que as prendia, amarrava e cismava em mantê-las na categoria bibelô.

Chanel levantou as barras dos vestidos, nos deu as calças compridas, os bolsos de verdade, a roupa esportiva, as calças de montaria, o twin set, o maravilhoso pretinho básico, o vestido curto para a noite e aqueles encantadores terninhos, sem falar do eterno tailleur. E destes tailleurs e terninhos tiramos os encantadores casaquinhos, aqueles de tweed, de corte reto na altura do ossinho do quadril, sabe qual? Claro que sabe, toda mulher sabe… E para nossa alegria veremos muitos casaquinhos estilo Chanel neste inverno

Você pode encontrá-los em muitas lojas bacanas, hoje damos a dica dos casaquinhos que a Lu Ismael trouxe pra gente! Se delicie, se encante e se vista elegantemente ao estilo da mulher que nos libertou quase que de nós mesmas, sacou o conceito?

Casaquinho estilo Chanel você pode encontrar por vários preços. Ter estilo não tem preço!

estilo Chanel

Serviço:

Loja Lu Ismael:

Alameda dos Vidoeiros, 455 – segundo andar. Gramado Mall. 

Horario de funcionamento: segunda a sexta das 9h00 ás 19h30 

                                                         Sábados das 9h00 ás 14h00 

 

      

Anúncios




LBD X Investimentos de Renda Fixa

28 02 2010

 

         Poupança é como comprar um LBD (little black dress) de festa em uma loja de departamento, ou até e em uma fast fashion, é fácil, não precisa procurar muito já que elas estão em todos os shoppings e repletas de roupas acessíveis, assim como a poupança, tudo que você precisa fazer é ligar para o seu gerente. Além disso, o preço é ótimo, né?

Audrey Hepburn em pretinho básico

Legítimo Little black dress

Mas quando você o experimenta não veste tão bem em você como parecia no cabide, às vezes até ressalta aquela gordurinha que você vem lutando bravamente contra. E ainda por cima a sua amiga tem que te lembrar daquilo que no fundo você já sabia, “por esse preço, o que você esperava? É claro, que não iria servir como uma luva.” Mas foi tão prático para comprar, né? Sem vendedor para te atordoar, ótimo preço e parcelado e ainda por cima estava do lado daquela camiseta básica que você estava procurando. Com a poupança é a mesma coisa, é prático, tem baixas taxas, mas um rendimento que não vai te cair tão bem….

         Já o investimento em títulos públicos, pelo Tesouro Direto, é como comprar um LBD de festa daquela marca maravilhosa, na promoção, quando você nem tem uma festa para ir. Ele tem um tecido de qualidade e veste perfeitamente bem em você, com sorte até melhor, do que no cabide. Tudo bem que ficou faltando aquela sensação gostosa de quando você tem uma festa especial e encontra o vestido perfeito, mas, não importa, afinal você sabe que sempre que precisar ele estará lá no armário, guardado para, como dizem os americanos, “for a rainy day”. Assim são seus investimentos em títulos públicos, são seguros e tem um dos melhores rendimentos do segmento (muitas vezes até o melhor) e bem maior do que o da poupança. Eles não têm tanta emoção e glamour como outras formas de investimento, mas sempre estarão lá rendendo a cima da inflação e guardados para um “rainy Day”, assim como um legítimo little black dress.

Post: Julieta Morais

Julieta, é minha filha mais velha, é economista, trabalha na Ambev. É apaixonada por moda e por finanças, por isso escreveu este post  dando dicas de finanças, num estilo meio a lá Becky Bloom,mas,com um toque só dela…Adorei a idéia e já “encomendei” outro. Vamos aproveitar esse e aguardar a próxima dica!

Abraços, Cristina Morais